Os Principais Comandos Usados na Gestão de Contêineres

Spread the love

Fala pessoal beleza!
Esse post inicia uma série de posts sobre os principais comandos usados na gestão de contêineres, Docker images, volumes, redes e inspecionar o Docker Daemon. Vamos começar por conhecer os principais comandos usados na gestão de contêineres. Se você é apressado e quer acessar a lista completa basta apenas digitar docker e teclar ENTER no terminal.

 

docker run -p HOST_PORT:CONTAINER_PORT -d REGISTRY/IMAGE:TAG

  1. O comando mais conhecido do Docker e é usado para inicializar um contêiner;
  2. O parâmetro -p é opcional e é usado para definir quais portas HTTP serão expostas. À esquerda especificamos a porta no host (nossa máquina) e a direita no contêiner;
  3. O parâmetro -d é opcional e é usado para subir o contêiner em background e nos permitir continuar usando o console;
  4. Para imagens oficiais não precisamos passar o REGISTRY/ já para às nossas Docker images precisamos passar o nosso usuário no Docker Hub ou no registry em uso;
  5. Por fim o nome da imagem e a TAG que é opcional. Se não especificarmos uma TAG o Docker subirá um contêiner a partir da Docker image com a TAG latest;
  6. Existem outros parâmetros, mas esses são mais do que suficientes para começar.

 

docker container ls -a à Lista os contêineres em execução. O parâmetro -a é opcional e pode ser usado para listar todos os contêineres inclusive os que estão parados;

  1. Nas versões mais antigas do Docker a sintaxe desse comando era mais simples, apenas docker ps -a;
  2. Hoje podemos usar ainda o comando docker container ps -a além dessas duas sintaxes.

 

docker container logs -f CONTAINER_ID à Acessa os logs de um contêiner. O parâmetro -f é opcional e pode ser usado para acompanhar os logs de modo análogo ao tail do Linux;

  1. Nas versões mais antigas do Docker a sintaxe desse comando era mais simples, apenas docker logs -f CONTAINER_ID;
  2. Hoje podemos usar as duas sintaxes, mas eventualmente a Docker pode depreciar o segundo comando.

 

docker container exec -it CONTAINER_ID bash à Acessa o terminal do container. O parâmetro -it é opcional e pode ser usado para conseguir acesso interativo com o shell do container;

  1. Nas versões mais antigas do Docker a sintaxe desse comando era mais simples, apenas docker exec -it CONTAINER_ID bash;
  2. Hoje podemos usar as duas sintaxes;
  3. Para maior compatibilidade de comandos em ambiente Windows é interessante prefixar todo o comando com winpty;
    • winpty docker container exec -it CONTAINER_ID bash.

 

docker container start | stop | pause | unpause | kill CONTAINER_ID à Comandos básicos para gestão de contêineres;

  1. Nas versões mais antigas do Docker a sintaxe desse comando era mais simples, apenas docker start | stop | pause | unpause | kill CONTAINER_ID;
  2. Hoje podemos usar as duas sintaxes.

 

docker container top CONTAINER_ID à Mostra o processo em execução no contêiner;

  1. Nas versões mais antigas do Docker a sintaxe desse comando era mais simples, apenas docker top CONTAINER_ID;
  2. Hoje podemos usar as duas sintaxes.

 

docker container inspect CONTAINER_ID à Inspeciona detalhes de um contêiner;

  1. Nas versões mais antigas do Docker a sintaxe desse comando era mais simples, apenas docker inspect CONTAINER_ID;
  2. Hoje podemos usar as duas sintaxes.

 

docker container rm CONTAINER_ID à Remove um contêiner;

  1. Nas versões mais antigas do Docker a sintaxe desse comando era mais simples, apenas docker rm CONTAINER_ID;
  2. Caso o contêiner esteja em execução ele não será removido. Podemos adicionar o parâmetro -f para forçar a remoção mesmo se estiver em execução;
  3. Hoje podemos usar as duas sintaxes.

 

docker container prune à Remove todos os contêineres parados;

  1. Não existia um comando equivalente em versões anteriores do Docker e normalmente improvisávamos com o comando:
    • docker rm $(docker ps -a -q) -f à A parte dentro dos parêntesis lista todos os contêineres. E a parte externa remove todos os contêineres retornados na lista interna. O -f pode ser usado, de forma opcional, para forçar a remoção, mesmo que o contêiner esteja sendo usado.

E se você quer se tornar um verdadeiro ninja Docker e conhecer mais sobre Docker e Docker Compose eu recomendo baixar o meu e-Book gratuito Docker um guia Rápido e dar uma conferida numa playlist sobre o tema no meu canal no Youtube.


Baixe o Guia Docker grátis

Bom por esse post é isso a gente se vê no próximo post!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *